_arquivos de posts marcados com: poesia

Shakespeare

Como imperfeito ator que em meio à cena O seu papel na indecisão recita, Ou como o ser violento em fúria plena A que o excesso de forças debilita; Também eu, sem confiança em mim, me esqueço No amor de os ritos próprios recitar, E na força com que amo me enfraqueço Rendido ao peso […]

Prece

Concede-me, Senhor, a graça de ser boa, De ser o coração singelo que perdoa, A solícita mão que espalha, sem medidas, Estrelas pela noite escura de outras vidas E tira d’alma alheia o espinho que magoa. Helena Kolody.

Da poesia

A Enaiê, dia desses, me perguntou se eu gostava de poesia. Uma pergunta simples, com a qual algumas vezes, ao longo de anos, me debati. Pensa que é fácil gostar de poesia? Reclamei pra Enaiê, durante uma de nossas aulas, daquelas pessoas (digo, colegas de classe que têm tanta inteligência que matam a própria sensibilidade, […]

Adeus, Setembro

Apenas um trecho (que li por acaso) de Canções basta: Quando meu rosto contemplo, o espelho se despedaça: por ver como passa o tempo e o meu desgosto não passa. Amargo campo da vida, quem te semeou com dureza, que os que não se matam de ira morrem de pura tristeza? Cecília Meireles.

Canção

Pus o meu sonho num navio e o navio em cima do mar; – depois, abri o mar com as mãos, para o meu sonho naufragar Minhas mãos ainda estão molhadas do azul das ondas entreabertas, e a cor que escorre de meus dedos colore as areias desertas. O vento vem vindo de longe, a […]

Nudez

Não cantarei amores que não tenho, e, quando tive, nunca celebrei. Não cantarei o riso que não rira e que, se risse, ofertaria a pobres. Minha matéria é o nada. Jamais ousei cantar algo de vida: se o canto sai da boca ensimesmada, é porque a brisa o trouxe, e o leva a brisa, nem […]

A lua

e a lua foi transposta até a borda e fixada com tábuas e pregos e lacrada com almíscar na parte sudeste do céu girava sob cálculos e sempre voltava ao seu lugar _ Márcio-André, em Intradoxos (da série Movimento perpétuo).

O poeta pede ao seu amor que lhe escreva

A candura de Polifemo e o drama de Coridão

|
Página