Mudança

Do outro lado dos cômodos estão dormindo os pais. Enquanto os passos sussurram a saída dela da casa, as dobradiças das portas parecem chamar pelo nome a mãe. Ao chegar no apartamento dele, despiu-se de sua família e, da bagagem, tirou seu corpo. O ar poluído que entrava pela janela a agraciava com o doce perfume da liberdade. O silêncio no apartamento, aos poucos começou a incomodar sua coragem e, pelos cantos dos cômodos, começou a enxergar vestígios de preocupação. Entre as peças de roupas atiradas ao chão, um preservativo extasiado ainda reluzia com o frescor do sexo. Através de um fio de imagem, que se espremia entre a porta do quarto aberta e a parede da sala, viu que ele a traía na cama. Uma surpresa seguida de um espanto. Os olhos incharam. Decidiu ir embora. Não tinha o mínimo de autonomia pra fazer um escândalo, muito menos convicção pra permanecer ali, num bilhete. No caminho de volta pra casa, sem derramar lágrima, mas com os olhos brancos, pensou em mudar de vida, ser diferente. Trouxe este pensamento pra dentro, antes de ouvir os sussurros e gritos de sua casa, agora avisando a todos que ela voltava.

11/04/05
18/09/14

|

Quer comentar?

Campos necessários *

*
*