/arquivo de October 2010

Dance

Verdades

Shakespeare

Como imperfeito ator que em meio à cena O seu papel na indecisão recita, Ou como o ser violento em fúria plena A que o excesso de forças debilita; Também eu, sem confiança em mim, me esqueço No amor de os ritos próprios recitar, E na força com que amo me enfraqueço Rendido ao peso […]

Daniel Clowes

Like a velvet glove cast in iron

Daniel Clowes.

Gosto de sangue

“Imagine um soco surdo nos tímpanos e a pressão no peito extinguindo o ar completamente. Ninguém podendo lhe ajudar e a vida de seu corpo sendo esmagada pela atmosfera, arrancando com força sua alma pela boca e você ali se contorcendo todo, sofrendo as dores da impossibilidade e sabendo que está morrendo largado às traças. […]

Relicário

“Você espreme os olhos em resgate de um sonho arisco. Na memória, só restando o vago reflexo de uma bela imagem escapando de seu alcance. O torpor embebido em sono é arredio e os olhos areados ainda insistem contra a claridade. (…) Os resquícios da imagem que sobra se desmancham através dos focos de luz. […]

Eles

“Eu vejo o calor se dissipando de seus lábios. Esse sorriso mascarando a introspecção mesquinha. Vejo seus olhos ao deixarem de estar sob atenção. O desvio arredio em direção ao nada e a volta sorrateira que de lá fazem. Que não oculta os traços na epiderme dos olhos. Tortuosos esses olhos. Eles são. Tortuosos.” Ainda […]

Pododáctilos

É que ontem o céu caiu e me afoguei nele. E entre cansaço e vertinges, você levanta da cama com a menor idéia de que horas. Tudo bem, o dia já clareou, um edredon afaga sem dramas e sua cabeça não gira. Só não estranhe essa marca à altura do ombro, seu anelar levando um […]

Hoje

Foi ontem. Mas pra você é amanhã. Lembrando agora que preciso ver aquele lance sobre física quântica e previsibilidade do caos. Anotado: não esquecer.

|
Página