Sem título, parte dois

O importante é o que ninguém vê. E não poder demonstrá-lo, sem as pessoas sentirem primeiro (e sem você sofrer por não poder compartilhá-lo), isso é o mais difícil. Mas o sujeito que chega a tal ponto e não sofre, de verdade, esse eu admiro. Um verdadeiro samurai, faixa preta, décimo dan. Pois, puta que o pariu, a coisa toda é dolorosamente complicada. Mas, vamos aí, não espere que a vida cobre passagem, meta-se nela.

|

Quer comentar?

Campos necessários *

*
*