Veredas

Fez sol, sem nuvens e azul. Por isso desci à portaria deixar os livros. Você sabe, o Correio passará aqui restituir os entregues equivocadamente pela Cosac. Assunto encerrado, juro. Afinal, nem escrevo sobre isso, mas pela surpresa. Sentado junto ao porteiro, aproveitando o calor raro dessa semana fria, um vizinho comenta o seu gosto pela leitura. De filosofia e outras coisas, não literatura. Mas, por quê? Ele até tentou enveredar por Guimarães, mas desistiu. A minha obrigação é dizer que as 100 primeiras páginas matam de sede a maior parte dos sertanejos. Porém, atravesse essa vereda, que o fôlego estará logo ali e durará  as outras 500. Meu vizinho confessou deixar o livro por perto, que um dia trilhará novamente esse caminho. Tomara que até o final, pois esse livro vale todo o esforço necessário.

|

Quer comentar?

Campos necessários *

*
*