/arquivo de July 2010

E unibus pluram

Porque o post abaixo tem muito que ver com esse ensaio magnífico do David Foster Wallace. Invista tempo lendo isso, ainda que seu inglês seja precário e você demore.

Autocrítica

Isso significa que se eu publicar em meu blog esse quadrinho do JR Mora, estarei isento da crítica implícita. Por isso seguirei opinando sobre o que não me diz respeito, nem sobre o que não me perguntaram, porque agora estou imune. Pode parecer que não, mas é assim que funciona. Estou falando de blogueiros? Claro […]

Inland empire

Onthophagus taurus

Entre os da sua espécie, esses caras são os mais fortes do mundo. Conseguem carregar nas costas o equivalente a 1.141 vezes o próprio peso. Essa conclusão não é arbitrária, cientistas da Queen Mary, em Londres, se esforçaram para prová-la. E como o que ocorre em toda espécie de sujeito no mundo, a questão é […]

Tábula rasa

Ontem, me referi a anteontem, quando falei em sujeito insensível. Mas não falei, só pensei. Que a insensibilidade anda tomando conta de todos nós, como uma doença na alma corroendo a carne até os ossos. Muito dramático? Diariamente, vemos as pessoas agirem de modo insensível, quando se preocupam completamente com si próprias e são incapazes […]

I, robot

Daí hoje eu li uma matéria do Bruno Natal sobre o uso indiscriminado do suporte digital (o eixo é um texto do Fernando Meirelles que desencadeou essa discussão toda). Ligando o texto do Pinker (de ontem) com esse papo sobre a tecnologia digital, a conclusão não muda: a culpa é de quem? Impressionante o quanto […]

Não culpe, assuma

Dia desses, linkei no twitter um artigo do Steven Pinker, em que ele isenta a internet da culpa por nossa suposta superficialidade. Pois é opinião corrente a de que com o Google (ou a Wikipedia, se preferir) o conhecimento vem se tornado raso, certo? Errado. O conhecimento cresce, nenhum problema com ele. Problema mesmo têm […]

Philip Roth

“Quando perguntei sobre a injustiça de não ter recebido ainda o Prêmio Nobel de Literatura, o grande autor americano me convocou para o jardim, me mandou olhar a natureza em volta e devolveu a pergunta: você acha que ainda preciso de um Nobel?” Entrevista com o escritor, aqui.

B

|
Página