Refutação do ‘Decálogo do perfeito contista’

Li por recomendação “Anaconda”, um dos contos do escritor uruguaio Horacio Quiroga (1879-1937). Passeando por aí, após a leitura, descobri que ele possui um “Decálogo do perfeito contista“, o qual me interessou não tanto pelos mandamentos, mas devido ao tema. Ainda passeando, descobri que a escritora argentina Silvina Bullrich (1915-1990) escreveu uma refutação ao decálogo de Quiroga. Pois bem, novamente não me interessam os argumentos dela, nem os mandamentos daquele, apenas o tema. Como é a segunda vez que falo o que não me interessa, então é hora de dizer o que tenho em mente.

Estou estudado a ficção do século XX, com o professor e escritor Paulo Venturelli, que privilegiu justamente o conto. Eis aqui um formato que me agrada muito e que tenho vontade de continuar pesquisando a respeito, por isso o interesse em material que o tematizem, independente de seus conteúdos. Já o Quiroga foi-me recomendado por outro professor.

Hoje, busquei a fonte daquele material linkado, acima, e vi que a Revista Bula dedicou-se a esse tema, entre 2008 e 2009 (meio confuso lá, não entendi bem, mas o material está à disposição pra que façamos bom uso, sob a tag ‘tradução’). E por aí vai…

|

Quer comentar?

Campos necessários *

*
*