As pessoas ainda não foram terminadas

Na segunda-feira, entre os vários videos que divulgaram a respeito de Armando Nogueira, em um deles ele dizia que não temia a morte, pois ela significa mudança, sendo esta algo que torna melhor os homens. Na hora, recordei-me de Sartre e a vida como um parênteses entre o nada, porém algo que Armando não gostaria de ouvir, já que imaginava ir para algum lugar além. Sem entrar nesse mérito, me veio um trecho do Grande Sertão: Veredas, e como qualquer motivo literário é bom o suficiente para ser compartilhado, quis transcrevê-lo:

“O senhor… Mire veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam.”

|

Quer comentar?

Campos necessários *

*
*